Domingo, 1 de Janeiro de 2012

Minha caminhada

Escrito por Rosinda às 14:04
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Sexta-feira, 29 de Outubro de 2010

Há tanto tempo...

Tou...? ouvia-te, mas nada ouvia...

A tua voz, que tão bem conhecia,

Arrasta-me para o passado,

Como num filme já rodado,

Mil vezes visto ...

... Mil vezes relembrado,

Emoções, sentimentos ,

Alvoraçam-me , autentico redemoinho...

E por momentos, apenas momentos...

Quis esquecer, senti carinho,

Mas depressa a chuva me arrefece o corpo,

Me alerta os sentidos,

A tua voz , nada diz de sentimento

Apenas me chega ao ouvido,

Uma justificação, um esclarecimento...

Que nada tem a ver com amor...

Como lamento...

Já não ouvia tua voz, há tanto tempo...

 

Rosinda

 

 

Escrito por Rosinda às 21:04
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
|
Quinta-feira, 23 de Setembro de 2010

Tempo que não pára.

 

Eu sou o tempo no espaço da vida.

Ando lentamente, muito devagar,

Ou ando apressado, é uma corrida...

Sou muitas vezes mal aproveitado,

Passam os dias sem pensar em mim,

Quando se dão conta, sou tempo passado.

E dizem então... A vida é assim...!

Que fizes-te tu enquanto era tempo

Se passei por ti e nada fizes-te,

Tens sempre da vida o que tu quises-te

Não andes contra o tempo,

Vive antes com ele como te convém...

Porque ele não cansa , não pára...

É um dos defeitos que o tempo tem,

E tudo a seu tempo... é o que está bem.

 

Rosinda

Escrito por Rosinda às 20:55
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Sexta-feira, 18 de Junho de 2010

Fica o passado e a obra.

 

PASSADO, PRESENTE, FUTURO

 

Eu fui. Mas o que fui já me não lembra:
Mil camadas de pó disfarçam, véus,
Estes quarenta rostos desiguais.
Tão marcados de tempo e macaréus.

Eu sou. Mas o que sou tão pouco é:
Rã fugida do charco, que saltou,
E no salto que deu, quanto podia,
O ar dum outro mundo a rebentou.

Falta ver, se é que falta, o que serei:
Um rosto recomposto antes do fim,
Um canto de batráquio, mesmo rouco,
Uma vida que corra assim-assim.

José Saramago "Os Poemas Possíveis"

Escrito por Rosinda às 23:14
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

.free glitter text and family website at FamilyLobby.com

.pesquisar

 

hospedagem
hospedagem

.Versinhos recentes

. Minha caminhada

. Há tanto tempo...

. Tempo que não pára.

. Fica o passado e a obra.

.Arquivos

. Dezembro 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

.Outros blogs meus








Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Based on a work at poesiaerosas.blogs.sapo.pt.
As imagens deste blog são na sua maioria retiradas da Internet

.Dezembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds